Vinhos Provados

terça-feira, 29 de Julho de 2014

Grandes Quintas Colheita Tinto 2008

Ano: 2008

Produtor: Casa da Arrochella

Tipo: Tinto

Região: Douro

Castas: Tinta Roriz, Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinto Cão

Preço Aprox.: 6,5€

Veredicto: Feito a partir de Tinto Cão, Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz. Estagiou 10 meses em barricas de carvalho Francês. Duriense de gema, do produtor Casa de Aroochella, situado no Douro Superior, com uvas provenientes de quintas entre Vila Flor, Moncorvo e Vila Nova de Foz Côa. Enologia de Luís Soares Duarte.

Como sabem, sou fã desta sub-região do Douro e fique bem agradado com este vinho: Cor ruby. Aroma intenso , com fruta vermelha madura, especiaria, algum fumo. Enfim com complexidade e profundidade. Boca com taninos redondos, equilíbrio entre madeira e fruta, bela acidez. Termina longo e persistente, cheio de frescura.

Mais um vinho entre os 5€ - 10€ (até mais próximo dos 5€) e que dá muito prazer a beber. A envelhecer muito bem, devendo-se beber agora os 2008, na minha opinião, pois encontra-se no ponto.

Classificação: 16




Sérgio Lopes

sábado, 19 de Julho de 2014

Prova dos vinhos Casa do Valle



A Casa do Valle situa-se em Cabeceiras de Basto, região dos vinhos verdes, mais propriamente a 2 Km da lendária Ponte de Cavez, local referido com enlevo por Camilo Castelo Branco, na sua obra, e estende-se, protegida pelas serras do Barroso e Alvão, pelas encostas do rio Tâmega. A produção de vinho nesta Quinta, propriedade da famila Sousa Botelho há várias gerações, remonta o Sec. XVIII. No entanto, foi a partir de 1987 que o processo de produção de vinho é levado mais a sério, tendo sido lançado os seus primeiros branco e tinto em 1989. 

Já tinha provado o "Grande Escolha" , um 100% Alvarinho, tendo ficado surpreendido com a elegância, frescura e final longo. Muito bom mesmo. Agora, aqui em Angola, decidi provar o Branco de... 2009 e o Rosé de 2012. Eis o veredicto.

Casa do Valle Branco 2009

Veredicto: Arinto, Loureiro e Azal, castas típicas da região compõem este vinho. Cor citrina já um pouco mais escurecida. Aroma ainda muito fresco, citrino e leve floral. Boca com leve evolução positiva, mantendo o seu perfil fresco e focado no lado citrino, com uma acidez crocante e final bem apelativo. Quem disse que os "verdes" não podem envelhecer?! Apesar de ser recomendada a sua guarda até 3 anos, este já leva 5 , e como diz o Gaspar" está uma "pomada"...!. PVP 3,5€.

Classificação: 15,5



Casa do Valle Rosé 2012

Veredicto: Vinhão e Rabo-de-anho. Lol, esta última casta nunca tinha ouvido falar. Rosé, com cor muito bonita, tipo um vermelho vivo. Aroma típico do estilo, com framboesa, morango, cereja, enfim toda esta fruta vermelha fresca. Boca focada na fruta, boa acidez, final correcto e equilibrado.  PVP 3,5€.

Classificação: 15

Vinhos "verdes" que apontam para um lado tradicional embora sejam apelativos. Existe aquela acidez bem evidente que nos lembra que é um vinho da região dos "verdes" e em particular da sub-região de Basto, mas não deixam de apelar a um público vasto e até internacional. Destaque para o branco provado de 2009, que prova a sua bela evolução.

Com enologia de Luís Duarte, da quinta sai um outro vinho branco "Matéria" que pode ser encontrado aqui em Angola via LuXmi e que é também interessante conhecer.


Sérgio Lopes

terça-feira, 15 de Julho de 2014

Porto Wine Fest 2014


A terceira edição do Porto Wine Fest volta à Ribeira de Gaia, desta feita entre 16 e 20 de Julho, ao contrário do ano passado quando decorreu nos inícios de Setembro. O mote volta a ser a comunhão do vinho do Porto e da gastronomia no cenário deslumbrante, tendo o Rio Douro como vista privilegiada.

Estarão presentes as seguintes marcas de vinho do Porto: Graham’s, Kopke, Burmester, Cálem, Barros, Ramos Pinto, Poças, Borges, Porto Cruz, Taylor’s, Real Companhia Velha, Quinta do Noval, Quevedo, Offley, Porto Ferreira, Sandeman, Maynard’s, Barão de Vilar, Feuerheerd’s, Van Zellers, Senhora do Convento, entre outros.
 
Uma excelente oportunidade para provar o Vinho do Porto, no seu local de eleição.

Imperdível...! Inicia já amanhã. Não falte.


Sérgio Lopes

sábado, 12 de Julho de 2014

Quanta Terra Grande Reserva Branco 2008

Ano: 2008

Produtor: Quanta Terra

Tipo: Branco

Região: Douro

Castas: Viosinho, Gouveio.

Preço Aprox.: 17€

Veredicto: Celso Pereira é o homem por detrás dos espumantes Durienses Vértices, conseguindo demonstrar que também no Douro se fazem excelentes espumantes. Paralelamente são também da sua autoria os vinhos Terra a Terra e Quanta Terra, vinhos puramente Durienses,provenientes de Alijó, e com o seu toque pessoal.

O Terra a Terra é a primeira marca, enquanto que o Quanta Terra será por assim dizer a marca Premium. Este Quanta Terra Grande Reserva Branco de 2008 provado, é produzido das castas da região Viosinho e Gouveio, estagiou 9 meses em barrica nova de carvalho Francês.

Cor dourada. Aroma maravilhoso, com notas fumadas evidentes, muita mineralidade e cheirinho a mel delicioso. Boca envolvente, gorda, mas muito, muito fresca. Final muito longo, persistente e delicioso.

O produtor afirma que este vinho pode ser guardado até 5 anos. Este provado, de 2008, já vai com 6 anos e está num momento de prova simplesmente fabuloso. Delicioso.

Classificação Pessoal: 17

Sérgio Lopes

quarta-feira, 9 de Julho de 2014

Tinto da Gaivosa 2010

Ano: 2010

Produtor: Domingos Alves de Sousa

Tipo: Tinto

Região: Douro

Castas: Tinto Cão, Touriga Nacional

Preço Aprox.: 8,50€

Veredicto: Segundo vinho da Quinta da Gaivosa, isto claro sem contar com os ícones Vinha do Lordelo e Abandonado, que têm o seu próprio posicionamento premium e distinto. Touriga nacional e tinto cão vindimadas duma vinha com mais de 20 anos. Estágio de 7 meses em barricas de carvalho francês de 2º ano.

Cor: Rubi

Nariz: Aroma fresco e perfumado com a fruta bem presente e nuances vegetais, especiadas, leve balsâmico.

Boca: Na boca apresenta uma estrutura elegante e envolvente. Especiado e com alguma secura tem um final persistente.

Um vinho que representa muito bem o terroir muito particular da Quinta da Gaivosa e convida a experimentar tudo o resto. Bem feito, equilibrado, macio e elegante. Mais vocacionado para a exportação, ou talvez ainda pouco divulgado na "tuga"?


Classificação Pessoal: 16

Lucinda Costa

segunda-feira, 7 de Julho de 2014

Quinta do Ameal Loureiro 2008

Ano: 2008

Produtor: Quinta do Ameal

Tipo: Branco

Região: Vinhos Verdes (Sub-Região do Lima)

Castas: Loureiro

Preço Aprox.: 7,99€

Veredicto:  Quinta do Ameal é sinónimo da casta Loureiro levada a uma finura poucas vezes experimentada. Existe as versões branco seco normal e a versão escolha, que tem passagem por madeira e normalmente evolui por largos anos. Quando descobri aqui em Angola o Ameal "normal" 2008, decidi arriscar para ver a evolução do vinho.

De cor palha, o aroma é floral e citrino, com notas de evolução como seria de esperar. Muito menos vibrante, mas com uma mineralidade e fruta de extrema qualidade. Corpo com enorme frescura, bom volume, final delicioso.

Um vinho com uma evolução fenomenal. Como diria o meu amigo Hildérico Coutinho com quem tive o privilégio de partilhar o vinho: "Um dos melhores Ameal que bebi nos últimos anos".

Classificação Pessoal: 16,5

Sérgio Lopes

sábado, 5 de Julho de 2014

Feira do Alvarinho de Monção


Este fim-de-semana, Monção volta a receber a Feira do Alvarinho. O certame será composto por produtores de Alvarinho da Sub-Região de Monção e Melgaço que terão os seus vinhos em prova e disponíveis para venda, tasquinhas com os petiscos regionais, fumeiros e artesanato local, contando ainda com a animação dos ranchos folclóricos do concelho de Monção.

Para quem não pode estar presente no Summer Wine Market, em Lisboa, poderá sempre tentar arranjar um "tempinho" e uma bela razão para visitar a bela região do Minho e desfrutar deste evento. Mais informações sobre a Feira do Alvarinho em http://www.feiradoalvarinho.demoncao.com/.

Sérgio Lopes