Vinhos Provados

domingo, 27 de Janeiro de 2013

Lucinda Todo-Bom


Situado no Douro Superior, concelho de Mêda, distrito da Guarda, Poço do Canto, a produtora Maria Lucinda Todo Bom é natural da terra, tendo a família iniciado a produção de vinho nos anos 30 e que, dando continuidade à tradição, iniciou novamente a produção de vinho em 1990 nas vinhas herdadas da sua família. Com uma área de 15ha, as vinhas do Poço do Canto, plantadas no solo xistoso característico da região, têm uma exposição solar excelente, nomeadamente a Sul, a uma altitude de 600m. A vinha é composta por diferentes castas autóctones, com destaque para a Touriga Nacional; podemos encontrar também Touriga Franca, Tinta Roriz e Tinta Barroca. A vindima é manual, conforme a tradição, e é na adega do Poço do Canto que os vinhos de Lucinda Todo Bom começam a ganhar forma, produzidos através dos métodos tradicionais de produção integrada. A vinificação é feita em cubas de inox com controlo de temperatura e estagia em madeira até ao engarrafamento. Desde 2003, conta com a enologia de Mateus Nicolau de Almeida.


À frente do projecto, encontra-se José Cardoso, que nos recebeu na adega e nos conduziu pela visita à mesma, emquanto nos ia explicando o trajecto percorrido até então. Este é um terroir muito específico, com um microclima muito particular que permite criar vinhos, à semelhança do que acontece no Dão, com uma elegância ímpar e que podem atingir uma longevidade de 15 anos. Nesse dia eu estava com uma gripe fortíssima, pelo que não foi possível provar qualquer vinho na adega, inclusivamente alguns ensaios, como por exemplo um Tinta Roriz que se encontra a repousar em garrafa ou um apetecível Vinhas Velhas que está para ser engarrafado ainda este ano... Contudo, foi possível provar mais tarde e com o devido rigor, a gama completa dos vinhos Lucinda Todo-Bom, cujo expoente máximo e talvez mais conceituado é o vinho Reserva Quinta dos Romanos. Aqui ficam as nossas considerações sobre os vinhos Lucinda Todo-Bom:



Fonte de Cordeiro Tinto 2008

Ano: 2008

Produtor: Lucinda Todo-Bom

Tipo: Tinto

Região: Douro

Castas: Tinta Barroca, Tinta Roriz, Touriga Franca

Preço Aprox.: 2,99€

Veredicto: Produzido das castas Tinta Barroca, Tinta Roriz, Touriga Franca, trata-se da referência de entrada de gama do produtor, passando apenas por Inox. É o único vinho tinto que não sofre qualquer estágio em madeira.  Trata-se de um vinho de cor ruby, muito vivo no copo. Resulta sobretudo num vinho focado na fruta, num conjunto fresco, de corpo médio e com final agradável, levemente especiado. Excelente escolha para o dia-a-dia, a um preço simpático.

Classificação: 14,5



Fraga Alta Rosé 2010

Ano: 2010

Produtor: Lucinda Todo-Bom

Tipo: Rosé

Região: Douro

Castas: Tinta Barroca

Preço Aprox.: 5,99€

Veredicto: 100% Tinta Barroca. Destaque para o rótulo, bastante distinto e para a bela cor salmão, a fugir à tradicional cor rosada. No nariz, apresenta um aroma levemente floral, evidente mineralidade e uma frescura no primeiro impacto. Na boca apresenta corpo médio, terminando seco e agradável. Um Rosé gastronómico, bem conseguido. Diferente.

Classificação: 15



Fraga Alta Branco 2010

Ano: 2010

Produtor: Lucinda Todo-Bom

Tipo: Branco

Região: Douro

Castas: Gouveio, Rabigato e Viosinho.

Preço Aprox.: 5,99€

Veredicto: Cor palha. As castas dominantes Gouveio, Rabigato e Viosinho conferem-lhe uma mescla de notas florais e fruta branca, amparadas por uma acidez em harmonia. Na boca é muito redondo, fresco, com final extremamente agradável. Mais um vinho de pendor gastronómico. A descobrir.

Classificação: 15




Fraga Alta Tinto 2004

Ano: 2004

Produtor: Lucinda Todo-Bom

Tipo: Tinto

Região: Douro

Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca

Preço Aprox.: 5,99€

Veredicto: Produzido das castas Touriga Nacional, Tinta Roriz e Touriga Franca sofre um estágio de 15 meses em barricas de carvalho e posteriormente em cubas de inox, antes do engarrafamento. De cor ruby intensa, no nariz revela aromas florais e a fruta vermelha madura, com suaves notas de especiaria e tosta da madeira. Na boca mostra-se elegante, macio e redondo, com uma bela acidez, terminando com um final bem agradável. Belo vinho de... 2004 (!) e ainda com muitos anos pela frente.

Classificação: 15,5



Fraga Alta Tinto 2005

Ano: 2005

Produtor: Lucinda Todo-Bom

Tipo: Tinto

Região: Douro

Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca

Preço Aprox.: 5,99€

Veredicto: Produzido exactamente das mesmas castas e utilizando o mesmo processo de vinificação. Trata-se de um vinho na linha do ano anterior, onde se mostram todas as qualidades evidenciadas acima. Contudo, achei-o não tão conseguido quanto o seu antecessor, nomeadamente na estrutura (mais delgada) e num final de persistência algo curto, o que reflecte a nota apresentada abaixo.

Classificação: 14


Fraga Alta Reserva Tinto 2006

Ano: 2006

Produtor: Lucinda Todo-Bom

Tipo: Tinto

Região: Douro

Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca e Sousão.

Preço Aprox.: 8,99€

Veredicto: Em 2006, José Cardoso e o enólogo Mateus Nicolau de Almeida decidem mudar um pouco o perfil do vinho Fraga Alta, passando a denominar-se reserva. Não que o anterior não o fosse, mas este é deliberadamente referenciado como tal. O blend passa a ser composto pelas castas Touriga Nacional, Touriga Franca e Sousão. E é também criada uma nova imagem, ou seja, rótulo para marcar a diferença com os anos anteriores. O estágio continua a ser de 15 meses em barricas de carvalho francês e posteriormente em Inox.

De cor ruby escura, o aroma é bastante complexo, com frutos silvestres, notas de cacau e especiarias. Na boca apresenta um grande volume de boca, mas em simultâneo trata-se de um vinho extremamente elegante, com taninos bem redondos, com final persistente e a pedir por mais. Muito bem conseguido.

Classificação: 16


Fraga Alta Reserva Tinto 2007


Ano: 2007

Produtor: Lucinda Todo-Bom

Tipo: Tinto

Região: Douro

Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca e Sousão.

Preço Aprox.: 8,99€

Veredicto: Seguindo a linha do 2006, que se apresentou belíssimo, o 2007 aparece ainda mais afinado em harmonia de conjunto, pautando-se por um vinho quiçá menos quente que o 2006. Fica ao critério do consumidor escolher qual o perfil que prefere.

Sem dúvida que a decisão da passagem do Fraga Alta para Reserva, resultou num salto qualitativo bem evidente e sobretudo numa garantia de que não há oscilações de qualidade dentro das gamas de vinhos comercializadas, de ano para ano.

Classificação: 16


Quinta dos Romanos Tinto 2006


Ano: 2006

Produtor: Lucinda Todo-Bom

Tipo: Tinto

Região: Douro

Castas: Touriga Nacional, Sousão, Touriga Franca

Preço Aprox.: 17,95€

Veredicto: 80% de Touriga Nacional, 10% de Sousão, 10% de Touriga Franca. 15 meses de estágio em barricas novas de carvalho francês. o Icon da casa. Poderia ser denominado "O grande Reserva da casa", uma vez que é um vinho que se tem de ter paciência... Prova disso é que o produtor apenas está a comercializar o Quinta dos Romanos de 2006... O 2007 está ainda a aguardar que possa saír para o mercado nas melhores condições de harmonia para ser devidamente apreciado. Precisa de garrafa. É uma estratégia comercial que seguramente será difícil de implementar por muitos produtores, mas que naturalmente se aplaude.

Quanto ao vinho, tem aquilo que um topo de gama deve ter. Seguindo a mesma linha condutora, a predominância da Touriga Nacional evidencia aromas bem vincados a fruta vermelha e um perfume muito fino. Na boca é de uma elegância e finura acentuadas, sem descurar a potência e acidez que o torna apetecível copo após copo. Termina de forma muito persistente Um daqueles vinhos para apreciar verdadeiramente por si só. Por exemplo, para terminar a noite em grande.

Classificação: 17


De uma forma geral os vinhos produzidos por José Cordeiro têm uma linha condutora bastante evidente - Elegância, frescura e longevidade. O trabalho de Mateus Nicolau de Almeida que entrou para a empresa apenas em 2003 dá agora os seus frutos e o produtor tem finalmente perfeitamente identificados o perfil e gama dos vinhos que quer comercializar. São de facto vinhos distintos numa região do Douro Superior a paredes meias com o Dão. 



Sérgio Lopes

Sem comentários:

Enviar um comentário